3 - Lindros

TROCAS HISTÓRICAS #3 – A colossal troca por Eric Lindros

É seguro dizer que troca de Wayne Gretzky abriu as portas para outras grandes negociações que vieram com o passar dos anos. Diversas estrelas mudaram de time durante a década de 90 em negociações massivas que abalaram a NHL. Mas e se eu lhes disser que uma das maiores trocas do anos 90 envolveu 2 peças centrais que nunca haviam sequer atuado na NHL, além de diversas outras peças e muito dinheiro? Pois bem, então vamos conhecer um pouco melhor da história por trás da grandiosa troca entre Philadelphia Flyers e Quebec Nordiques, que hoje, é o Colorado Avalanche e que por muito pouco não foi uma troca entre Quebec Nordiques e New York Rangers.

A história começa com o Draft de 1991, onde um jovem extremamente talentoso chamado Eric Lindros, seria a escolha de número um. Lindros teve uma carreira vitoriosa nas ligas juniores canadenses, atuando pelo Oshawa Generals da OHL. Um fato interessante, é que Lindros havia sido selecionado por outra equipe e se recusou a jogar pela mesma, sendo então trocado para os Generals. (Guardem essa informação).

Os Nordiques não vinham nada bem nos últimos anos, tendo vencido apenas 26 partidas nas últimas duas temporadas anteriores ao Draft de 1991 (!!!!!). No entanto, a equipe havia selecionado jogadores extremamente talentosos nos anos anteriores, como Mats Sundin, Joe Sakic e Owen Nolan. Quando foi definido que o Nodiques teria novamente a primeira escolha geral, Lindros, seguindo conselhos de sua mãe, deixou bem claro que não atuaria pela franquia caso fosse selecionado. O jogador também buscava atuar em um mercado onde o inglês fosse a língua predominante, na expectativa de melhores acordos comerciais.

A franquia de Quebec não recuou e selecionou Lindros, dando início a uma novela que duraria 1 ano. Lindros cumpriu sua palavra e não atuou pelos Nordiques, recusando todas as ofertas de contrato (algumas bem generosas) da equipe canadense. Finalmente os Nordiques resolveram que era hora de mover Lindros e não desperdiçar sua primeira escolha geral. Sendo assim, quando Lindros foi oficialmente colocado “no mercado”, não faltaram candidatos para adquirir os talentos do jogador.

Em junho de 1992, Maple Leafs, Flames, Devils, Flyers, Red Wings e Rangers estavam conversando com os Nordiques para realizarem uma troca pelo jogador. Uma curiosidade, é que os Red Wings consideraram oferecer até mesmo Steve Yzerman, estrela já consolidada na liga e ídolo em Detroit. Yzerman também teria dito que não jogaria em Quebec caso fosse trocado, o que afastou os Red Wings da disputa por Lindros.

No dia 20 de junho de 1992, as vésperas do Draft, os Nordiques e os Flyers chegaram em um acordo, com os canadenses autorizando o GM dos Flyers a ligar para Lindros e confirmar se o jogador atuaria pela equipe de Philly, antes de concluir a troca. Após tudo acertado entre as equipes, Marcel Aubut, presidente dos Nordiques, voltou atrás e aceitou uma oferta dos Rangers que incluía: Sergei Nemchinov, Tony Amonte, Alexei Kovalev, James Patrick e ainda possivelmente o goleiro Mike Richter, além de múltiplas escolhas e 20 milhões de dólares!

Os Flyers obviamente não gostaram nada da história e enviaram uma reclamação formal para a NHL, que apontou o advogado Larry Bertuzzi de Toronto, como um árbitro do conflito. Após uma audiência de 5 dias, revisando mais de 400 páginas de anotações e documentos, ouvir diversas testemunhas, incluindo Lindros, Bertuzzi deu ganho de causa para os Flyers, além de inocentar os Rangers na ocasião, concluindo que a equipe de NY não havia feito nada errado.

Desta forma, no dia 30 de junho de 1992, a troca entre Quebec Nordiques e Philadelphia Flyers foi oficializada e uma das peças que iria de Philly para Quebec, era uma jovem promessa sueca, que com apenas 18 anos de idade, já era considerado o melhor jogador do mundo fora da NHL, um jogador que atendia pelo nome de Peter Forsberg, que havia sido a 6ª escolha geral do Draft de 1991, mesmo ano de Lindros.

Abaixo, os detalhes da troca!

Para Quebec:
– Peter Forsberg
– Steve Duchesne
– Ron Hextall
– Kerry Huffman
– Mike Ricci
– 2 escolhas de 1ª rodada no Draft (1993 e 1994)
– 15 milhões de dólares

Para Philadelphia:
– Eric Lindros

E DEPOIS DA TROCA?

Para Quebec, a troca significou uma reestruturação que viria a dar frutos não muito tempo depois. Já em 1992, os Nordiques chegaram aos playoffs após 5 anos. Liderados por Joe Sakic, Mats Sundin e Mike Ricci, a equipe seguiu evoluindo. Em janeiro de 1995, após o fim do lockout, Peter Forsberg finalmente estreou na NHL e causou impacto imediato na equipe, inclusive vencendo o Calder Trophy daquele ano (Melhor novato). Com a escolha de Draft obtida em 1993, os Nordiques selecionaram o goleiro Jocelyn Thibault, que dois anos mais tarde, foi utilizado na também grandiosa troca que viu o lendário goleiro Patrick Roy chegar na franquia, que naquele ano havia se mudado para o Colorado e virado o Avalanche. Também em 1993, os Nordiques trocam Ron Hextall para os Islanders e com a 14ª escolha geral obtida na troca, selecionaram Adam Deadmarsh, que também viria a ser importante logo adiante. Ao fim da temporada 1995-1996, o Colorado Avalanche venceu a Stanley Cup, liderados por Sakic, Forsberg, Ricci, Deadmarsh e Roy. Em 2000-2001, o Avalanche conquistou sua segunda Stanley Cup, mais uma vez com importantes atuações de Forsberg e Roy. O resultado da troca foi um dos pilares que sustentou o início da franquia na nova cidade, gerando interesse do público, bons contratos de TV para a franquia e estabelecendo o Colorado Avalanche em um lugar que dificilmente sairá.

Para Philly, a chegada de Lindros teve um impacto imediato dentro e fora do gelo. Com a chegada do novo astro, os Flyers logo conseguiram o apoio e fundos necessário para a construção de uma nova arena, atualmente, Wells Fargo Center, que foi aberta já em 1996. Em sua chegada, Lindros atuou com Mark Recchi e Brent Fedyk, formando a linha que ficou conhecida como “Crazy Eights” (88-8-18), que atuou junta por aproximadamente 3 temporadas, anotando incríveis 586 pontos. Após a troca de Mark Recchi e com a chegada de John LeClair, Lindros liderou uma nova linha que fez história em Philly, a incrível “Legion Of Doom”, composta por Lindros, LeClair e Mikael Renberg. A linha além de um incrível poder de fogo, também era extremamente física, se tornando uma combinação muito temida pelos adversários. Ao fim da temporada 1994-1995, primeira em que atuou com a “Legion”, Lindros venceu o Hart Memorial Trophy (MVP) e o que é hoje o Ted Lindsay Award (MVP votado pelos jogadores). Em 3 temporadas, a linha combinou para 666 pontos e conduziu a equipe até as finais da Stanley Cup, onde após passar facilmente pelos 3 primeiros adversários com sonoros 4-1 nas séries, foi varrida pelo Detroit Red Wings na final. Foi o mais próximo que Lindros chegou de levar os Flyers até um título. Após 8 anos em Philly, Lindros envolveu-se em uma disputa com os Flyers referente a salários e após diversas desavenças com o novo GM, Bobby Clarke, o jogador não atuou durante TODA a temporada 2000-2001, sendo posteriormente trocado para o New York Rangers e encerrando de forma conturbada sua passagem pelos Flyers.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email