lafreniere_comp

O que a primeira escolha do Draft significa para os Rangers

Se a rodada de play-in mostrou a sua torcida que o New York Rangers não estava pronto para os playoffs, a bolinha de pingue pongue sorriu para o Rangers na noite da última segunda no Draft Lottery da NHL, dando a equipe de Manhattan a primeira escolha geral que não vinha desde 1965. A primeira transmissão ao vivo (para evitar teorias da conspiração) de um sorteio de draft contava com 8 times com 12,5% de chance de ganhar a primeira escolha e muito provavelmente Alexis Lafrenière, que fez 112 pontos (35 gols and 77 assistências) em 52 jogos na Quebec Major Junior Hockey League pelo Rimouski Océanic. Mas o que Lafrenière significa para o rebuild em Nova Iorque.

 

Ataque
Primeiramente, Alexis não é um prospect como Sidney Crosby ou Connor Mcdavid, mas ele chega perto (por exemplo foi o segundo jogador eleito como MVP 2 vezes nos juniores, feito só atingido por Crosby), com um teto parecido com Patrick Kane e Auston Matthews segundo os especialistas. Entrando na equipe da Broadway, ele poderia assumir tranquilamente a linha 3 ou ainda melhor a linha 2. Nesse caso, Kreider seria movido para a direita (melhor mover um veterano para outra posição do que forçar um novato). Com isso as linhas ficariam

Panarin – Zibanajed – Kreider
Lafrenière – Chytil / Strome – Kakko

Note que o Rangers tem um problema, eles deveriam manter Lafrenière criando e Kakko finalizando. A grande questão é: Chytil ou Strome são Centrais de linha 2? O Rangers precisa descobrir isso logo e caso seja necessário ir atrás de um segundo central, um pacote com 2 desses jogadores e talvez a first pick que pertencia ao Carolina: Pavel Buchnevich, Tony De Angelo, Ryan Strome, Fylip Chytil ou Lias Andersson poderia tranquilamente trazer Ricard Rakell (já que William Karlsson do Vegas e Jean-Gabriel Pageau são inviáveis no momento) do Anaheim Ducks (que está em rebuild), um central defensivo que daria liberdade para os 2 novatos atacarem, ganharia face-offs e não pesaria contra o Cap.

Defesa
Na defesa, Adam Fox é intocável, Antony De Angelo ou Trouba poderiam ser trocados sem problemas para fortalecer a equipe. O lado esquerdo é que as coisas precisam ser movimentadas, Marc Staal e Brendan Smith somam 9.7M contra o cap e não entregam mais o que entregavam antes. Pior ainda, estão barrando a movimentação de K´Andre Miller e Libor Hajek para o time principal. A equipe azul precisa saber o que tem nesses 2 prospects para decidir o que fazer com eles, já que na temporada de 2021-22 Nils Lundqvist deve assumir uma dessas posições

Goleiros
Igor Shesterkin já mostrou que é o goleiro pelos próximos 12-13 anos na equipe. E por mais que eu ache que Alexander Georgiev seja um ótimo backup, a equipe tem produzido excelentes backups que chegaram a ser tornar starters como Cam Talbot e Anti Raanta, enquanto a equipe manter o treinador Benoit Allaire e com a base de prospects no gol, tudo deve correr bem. Eu digo isso porque eu acho uma ingratidão dar um buyout em Henrik Lundqvist, os blueshirts devem muito a ele e deveriam dar 2 opções:

  1. Se ele quiser por vontade própria se aposentar, retiram a jersey e vai ser feliz
  2. Ele ter um último tour e jogar de 25-30 jogos, sendo um mentor para o goleiro russo.

Finalizando, a sorte sorriu para o Rangers, que sem tankar conseguiu Kappo Kakko no ano passado e agora tem a chance da primeira escolha e Alexis Lafrenière. O rebuild ainda não está acabado mas o Rangers se coloca em posição de sair dele em pouquíssimo tempo.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email