winter classic

Winter Classic em Minnesota foi o jogo mais frio da história da NHL

O Winter Classic entre St. louis Blues e Minnesota Wild aconteceu no domingo às 21h, em Minneapolis, Minnesota. Faziam -20 graus Celsius, o que tornou o jogo no Target Field o mais frio da história da NHL. O placar final foi de 6-4 para o Blues, mas o dia não deixou de ser especial para todos que estavam presentes.

Minnesota é conhecido nos Estados Unidos como o “Estado do hockey”, o esporte sendo tão presente no dia a dia dos moradores que acabou gerando o apelido. Os jogos outdoor da NHL foram criados para homenagear as raízes do hóquei e, já que o esporte surgiu para aproveitar ao máximo o inverno, a NHL une o útil ao agradável. Os torcedores com certeza adoraram a experiência.

Frio e diversão marcam Winter Classic em Minnesota

Estavam presentes mais de 38 mil pessoas, lotação máxima do Target Field, para assistir o espetáculo no gelo. Tanto os jogadores, quanto a equipe técnica e os fãs aproveitaram bastante, mesmo com o frio de congelar os ossos.

“Eu estava procurando por um urso polar por cima do ombro”, disse o atacante do Wild, Marcus Foligno. “Estava tão frio lá fora.”

O campo foi organizado para se parecer com um torneio de hóquei em lago, com nove rinques escavados na neve no “Lake Winter Classic”, transformando Minnesota na Terra dos 10.001 lagos. Não havia ursos polares, mas havia cervos, lenhadores, pescadores de gelo e muito mais.

“Foi incrível”, disse Foligno. “Quando você está no meio da pista de gelo e olha ao redor, é inacreditável. É uma visão incrível. E ver os fãs empilhados até o topo, enfrentando o frio, esses são provavelmente os melhores fãs.”

Os torcedores de Minnesota já esperavam por um jogo ao ar livre há muito tempo. O Wild já havia sediado um jogo ao ar livre em 21 de fevereiro de 2016, contra o Chicago Blackhawks no TCF Bank Stadium. Porém, foi durante a Stadium Series que não tem o mesmo decoro e atenção que um Winter Classic. Eles estavam programados para sediar o Winter Classic na última temporada, mas foi adiado devido à pandemia de COVID-19.

Este foi o primeiro Winter Classic em dois anos e o primeiro jogo outdoor da NHL com fãs presentes desde que os Los Angeles Kings derrotaram o Colorado Avalanche por 3-1 em 15 de fevereiro de 2020.

Diversão em família

Os torcedores estavam empacotados com várias camadas de roupas, como se estivessem indo esquiar. É claro que, em um dos estados mais frios dos Estados Unidos, eles sabem como se vestir – e têm orgulho disso.

Chris Opskar, 44, de Brooklyn Park, Minnesota, e seu filho de 15 anos, Ryker, um jogador júnior na Champlin Park High School, subiram direto para seus assentos na fileira 19, seção 237 – três fileiras a partir do topo no campo central direito do que normalmente é a casa dos Minnesota Twins da Major League Baseball’s (MLB).

“Fomos criados para o frio”, disse Opskar em entrevista para a NHL. “Eu estou bem aquecido agora. Eu poderia sentar aqui o dia todo. Esta é a experiência de uma vida inteira”, disse ele. “Fui ao Stadium Series aqui quando ganhamos do Blackhawks. Meu filho não tinha idade suficiente para ir na época. Eu simplesmente decidi, tipo, ‘Ei, o hóquei ao ar livre é o que significa Minnesota.’ Sofremos com a dor quando esses caras estão patinando nos rinques. Seus dedos ficam gelados. Temos que ser capazes de sofrer com isso para assistir a um bom jogo de hockey da NHL.”

Como a NHL lidou com o frio extremo

Estava tão rio que a NHL precisou colocar cobertores isolantes para manter o gelo aquecido. Sim! Aquecido. A temperatura ideal da superfície de um rinque da NHL é entre -5 e -4 graus Celsius, por isso a liga precisou manter o gelo aquecido para que ele não quebrasse ou rachasse no meio do jogo. 

A liga também usou aquecedores nos bancos e áreas de penalidades, e cada time ficou responsável por manter os equipamentos e jogadores aquecidos. Para isso, eles consultaram o gerente de equipamentos do Green Bay Packers (NFL), Red Batty, que prepara os seus jogadores para as ondas frias. Eles usaram roupas íntimas térmicas especiais e balaclavas, colocavam aquecedores de mão nas luvas e bebiam caldo de galinha ao invés de água.

“É como uma sopa, então estava muito bom”, disse o goleiro do Blues, Jordan Binnington.

O estilo por trás do Winter Classic do St. Louis Blues

O Blues pensaram em chegar vestidos como lenhadores. Binnington disse que comprou até 30 camisetas. Mas, em vez disso, decidiram chegar como se fossem à praia, de sandálias, shorts, sunga, camisa tropical e óculos escuros. O defensor Marco Scandella estava com a camisa desabotoada, sem camisa por baixo, e carregava uma cooler. O atacante David Perron tinha uma toalha pendurada no ombro.

“Todo mundo estava falando sobre como estava frio”, disse o capitão do Blues, Ryan O’Reilly. “Achamos que seria bom entrar pronto para pegar um pouco de sol e se divertir. Demos boas risadas.”

Eles tiveram mais do que isso. Foi uma experiência da qual se lembrarão para sempre.

“Foi incrível”, disse O’Reilly. “Achei que a NHL fez um trabalho fantástico [com o jogo]. A multidão, eu estava conversando com Binnington sobre isso depois do jogo, especialmente aquele hino, como foi ver aquela quantidade de pessoas, fogos de artifício e tudo, a emoção disso… Eles definitivamente fizeram um ótimo trabalho. É tão especial fazer parte disso, estar em um ambiente diferente. Foi muito divertido.”

Main photo:
Embed from Getty Imageswindow.gie=window.gie||function(c){(gie.q=gie.q||[]).push(c)};gie(function(){gie.widgets.load({id:’SxHscylIQG1jk7eVmcxIFg’,sig:’utAIYfMc3XfGO978eTabX0FLeBanbIpL-lnbBWokh1U=’,w:’594px’,h:’396px’,items:’1237551345′,caption: true ,tld:’com.br’,is360: false })});

Share this post

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email