FPBZ7buWUAkBA9i

Temporada da PHF chega ao fim com vitória do Boston Pride

Mais uma temporada da PHF chegou ao fim, e por mais que tudo indicasse que a chance de ter um campeão inédito fosse grande, não foi bem assim que as coisas aconteceram. Os playoffs da liga aconteceram do dia 25 a 28 de março, na Flórida, com parceria do Tampa Bay Lightining

Anteriormente, a liga de hóquei feminino era conhecida por National Women’s Hockey League (NWHL), porém durante a offseason, foi anunciado a alteração do nome da liga para Premier Hockey Federation, a fim de acabar com a tradição esportiva em ter um indicador de gênero no nome. A liga também alterou suas políticas de inclusão de atletas trangêneros e não binários, tendo como objetivo “oferecer orientação e apoio para todos os atletas e centrar a saúde e segurança dos mesmos em todos os momentos.”

Alguns passos extremamente importantes para o crescimento da modalidade feminina também foram dados, como o recebimento de um investimento de US$25 milhões em pagamentos diretos e benefícios para suas jogadoras nos próximos três anos. A promessa inclui mais de US$7,5 milhões em salários e benefícios para a temporada 2022-23. Isso representa o maior investimento independente único na história do hóquei feminino profissional e proporcionará mais oportunidades financeiras para as atletas, melhorando diretamente a experiência das jogadoras.

A temporada regular

A temporada regular  consistiu em jogos que aconteceram durante os fins de semana, pois como muitas das jogadoras da liga ainda não conseguem viver de hóquei devido ao salário, elas possuem trabalhos integrais durante a semana, como professoras, cientistas, jornalistas, motoristas e as mais diversas profissões que se possa imaginar. Foram 60 jogos ao total, sendo 20 jogos por equipe (10 em casa e 10 fora), com os times se enfrentando quatro vezes. Lembrando que, diferente da NHL, não existe uma premiação para o melhor colocado visto que as posições servem para definir quais times irão se enfrentar. O formato dos playoffs desta temporada da PHF foi mata-mata, não havendo séries de jogos. Ao fim da temporada regular, este era o cenário de classificação dos times:

Classificação geral da temporada regular da PHF
Classificação geral da temporada regular da PHF. Reprodução/Premier Hockey Federation

Como Connecticut Whale e Toronto Six ficaram nas duas melhores colocações, os times já se classificaram diretamente para as semifinais. Já Boston Pride, Metropolitan Riveters, Minnesota Whitecaps e Buffalo Beauts precisaram passar por uma fase preliminar. Os vencedores da fase preliminar teriam sua classificação da temporada regular utilizada para definir quem enfrentariam na semifinal. O Connecticut Whale enfrentaria o time vencedor com a pior campanha e o Toronto Six, o time vencedor com a melhor campanha. Confira no esquema abaixo: 

Confira agora um breve resumo dos jogos que aconteceram nesse fim de semana até a consagração de Boston Pride com o terceiro campeonato da história da franquia.

Fase Preliminar

25/03/22 – Jogo 1 – #6 Buffalo Beauts x #3 Boston Pride

Após um primeiro período sem gols, o ataque imponente do Boston Pride abriria o placar com Taylor Wenczkowski, Kali Flanagan e a capitã Jillian Dempsey, totalizando 3-0. No terceiro período, Christina Putigna, Teresa Vanišová e Mary Parker também marcaram e juntamente com o shutout da goleira Katie Burt, garantiram a passagem do Pride para a semifinal com o placar de 6-0. Como o time ficou em terceiro lugar da classificação geral da temporada regular, elas obrigatoriamente enfrentariam o Toronto Six.

A capitã Jillian Dempsey comemorando a vitória do Boston Pride.
Foto: AP Photo/Mary Schwalm. Reprodução/Boston Globe

25/03/22 – Jogo 2 – #5 Minnesota Whitecaps x #4 Metropolitan Riveters

Mesmo fazendo uma temporada regular muito abaixo do esperado, o Minnesota Whitecaps mais uma vez mostrou porque é um time a ser temido. Com a volta da goleira Amanda Leveille, o time pareceu mais confiante e abriram o placar logo no primeiro período, com Taylor Turnquist. Em seguida, Kelly Babstock empatou, mas Sydney Baldwin fez dois gols e aumentou para 3-1. Allie Thunstrom, outra peça fundamental do Whitecaps, fez o dela para terminar o jogo em 4-1, mandando as Riveters direto para casa.

Minnesota Whitecaps comemorando a classificação para a semifinal.
Foto: Luis Santana. Reprodução/Tampa Bay Times

Semifinais

27/03/22 – Jogo 1 – #5 Minnesota Whitecaps x #1 Connecticut Whale

A caloura Kennedy Marchment foi a primeira a marcar um gol, dando a vantagem de 1-0 logo no fim do primeiro período. Allie Thunstrom empatou, mas Janine Weber retomou a vantagem para o time de Connecticut. O empate viria novamente com Ashleigh Brykaliuk, mas os gols de Alyssa Wohlfeiler e Tori Howran seriam os últimos a serem marcados na partida, dando a vitória para o Whale por 4-2. O Minnesota Whitecaps, finalista da Isobel Cup do ano passado, deu adeus para a disputa, enquanto o Connecticut Whale se classificou para a final pela primeira vez em sua história. Amanda Leveille enfrentou 35 disparos e fez 31 defesas, enquanto Abbie Ives defendeu 22 de 24 disparos ao gol.

Minnesota Whitecaps ensaiando uma jogada ofensiva contra o time de Connecticut Whale
Foto: Luis Santana. Reprodução/Tampa Bay Times

27/03/22 – Jogo 2 – #3 Boston Pride x #2 Toronto Six

Para quem adora uma rivalidade entre Boston e Toronto, esse era um jogo imperdível. O Toronto Six foi para o jogo com Elaine Chuli no gol, e o Boston Pride contou com Katie Burt. Eram, com certeza, as duas melhores goleiras da temporada e muito se imaginou que talvez o confronto não tivesse um número grande de gols e um placar extremamente equilibrado, mas não foi exatamente isso que aconteceu. Logo no fim do primeiro período, Christina Putigna, Kali Flanagan e Kayla Friesen abriram uma vantagem de 3-0 em menos de dois minutos. Faltando 34 segundos para o primeiro intervalo, Breanne Wilson-Bennett marcaria o único gol do time canadense na partida, tirando o shutout de Burt. No segundo período, Evelina Raselli marcou mais um para o Pride em um erro juvenil de Elaine Chuli. Mais uma vez, o Boston Pride se classificaria para a final da Isobel Cup e lutaria para defender seu título.

Jogadoras do Boston Pride comemorando um gol.
Foto: Michelle Jay. Reprodução/The Ice Garden

Final da Isobel Cup

29/03/22 – Jogo 1 – #3 Boston Pride x #1 Connecticut Whale

Pela primeira vez, Connecticut Whale estaria jogando uma final. Do outro lado, o friozinho na barriga já era conhecido pelas experientes e veteranas do Boston Pride. E, pode-se dizer, que esse diferencial pesou muito durante o jogo. Logo nos primeiros cinco minutos, Jillian Dempsey marcou o primeiro gol da partida para o Pride. Logo, Amanda Conway tratou de empatar e Taylor Girard aumentou as expectativas para a torcida do Whale ao fazer o 2-1. Jillian Dempsey cumpriu um major de cinco minutos ao derrubar Cailey Hutchinson, mas o Whale não conseguiu marcar neste período. Muitas penalidades foram marcadas dos dois lados, e também um 4-contra-4, porém nenhum dos times marcou durante as oportunidades criadas. No último período, Evelina Raselli e Taylor Wenczkowski marcaram para o Pride no empty net, totalizando 4-2. Elas conquistaram a Isobel Cup pela terceira vez na sua história, sendo o único time a atingir tal feito. 

A próxima temporada da PHF ainda não tem data definida, mas para conhecer um pouco mais detalhadamente sobre os times e a história do hóquei feminino, leia o guia da temporada da PHF produzido pela equipe NHL Brasil.

Foto: Reprodução/Boston Pride via Twitter

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email