Foto: Reprodução/The San Diego Union tribune

Merzlikins quer ganhar Vezina para homenagear Matiss Kivlenieks

Elvis Merzlikins, goleiro do Columbus Blue Jackets , quer ganhar o Troféu Vezina nesta temporada para homenagear o ex-colega de equipe Matiss Kivlenieks, que morreu em um acidente com fogos de artifício em 4 de julho, aos 24 anos.

“Não quero fazer promessas, mas posso dizer, meu plano é ganhar um troféu Vezina,” Merzlikins disse ao The Athletic. “Eu vou ganhar um Vezina para ele. Não podemos fazer promessas porque isso é hóquei e não sabemos como a temporada pode ir, mas este é o meu objetivo. Eu acredito que eu vou alcançá-lo.”

O Troféu Vezina é concedido anualmente ao melhor goleiro eleito na NHL.

Merzlikins foi 8-12-5 com uma média de 2.77 gols contra, aproveitamento de 91,6% em defesas e dois shutouts em 28 jogos [23 partidas] para o Blue Jackets na temporada passada. É esperado que ele ainda continue dividindo o tempo de jogo com Joonas Korpisalo semelhante ao da temporada passada. Korpisalo foi 9-13-7 com um 3.30 GAA e 89,4% de aproveitamento de defesas em 33 jogos [31 partidas].

Kivlenieks foi 1-1-0 com um 3.40 GAA e 90,1% de aproveitamento em dois jogos para Columbus na temporada passada.

“Eu entendo que existe eu e ‘Korpi’, e muito provavelmente teremos que dividir a temporada,” Merzlikins disse. “E bom, eu tenho minhas opiniões, Columbus tem suas opiniões. O que eu posso dizer é que eu quero jogar, sei que ‘Korpi’ quer jogar também e para o nosso bem, é melhor jogarmos mais jogos.”

O Blue Jackets (18-26-12) empatou com o Detroit Red Wings no último lugar na Divisão Central em 2020-21 e perdeu os playoffs da Stanley Cup pela primeira vez desde 2016.

Merzlikins creditou Kivlenieks por salvar sua vida, a da sua esposa [Aleksandra] e seu filho, até então, ainda não nascido. Merzlikins e Kivlenieks estavam em Novi, Michigan, para um feriado e fim de semana para celebrar o casamento da filha do treinador Manny Legace, Sabrina. Em um evento em homenagem a Kivlenieks, em 15 de julho, Merzlikins disse que ele e Aleksandra estavam abraçados cerca de 20-30 centímetros de distâncias de onde ele [Kivlenieks] foi atingido no peito pela explosão de um morteiro.

O menino, que nasceu em agosto, foi nomeado Knox Matiss Merzlikins.

Merzlikins disse que planejava pedir a Kivlenieks para ser padrinho de seu filho Knox. Ele também disse que a morte de Kivlenieks foi como perder um irmão mais novo e que ele está recebendo atendimento psicológico para ajudar com o processo de luto.

“Eu não estou com dor”, disse Merzlikins. “Obviamente, sinto falta do meu amigo, mas isso é o que me surpreende, que eu realmente não estou com dor e não está me impedindo de me concentrar na minha vida. Estou feliz que eu possa seguir em frente. Quando falo dele, não tenho nenhum problema. Quando eu falo dele, falo de coração, e sinto que quero chorar, sei que é um choro de felicidade, não de tristeza. Eu acredito que ele me fez mais forte.”

Este texto foi traduzido e adaptado. Para ler o original acesse o link.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email