Bergeron vence o Selke Trophy

Bergeron vence o Selke Trophy

Patrice Bergeron no domingo, dia 5 de junho, venceu o Troféu Selke, prêmio dado anualmente ao atacante que melhor demonstrou aspectos defensivos do esporte, votado pela Professional Hockey Writers Association (PHWA).

O central do Boston Bruins venceu o prêmio pela quinta vez, quebrando o recorde de Bob Gainey, que venceu o prêmio quatro vezes com o Montreal Canadiens entre 1977-81. Ele recebeu o prêmio de Doug Jarvis, o vencedor de 1984 com o Washington Capitals.

“Definitivamente é uma honra”, Bergeron disse. “Eu me sinto muito lisonjeado, é a primeira palavra que vem à cabeça. É um prêmio individual, mas que obviamente não é possível conseguir ele sem a ajuda dos colegas de time. Como eu falei no meu discurso de aceitação, há muitas pessoas a agradecer e existe um motivo para isso. Tive muita sorte de jogar em ótimos times e vencer cinco Selkes, então, sim, o prêmio vai para todas essas pessoas. Como eu disse, fico lisonjeado. É o único prêmio que eu tenho.

Bergeron liderou a NHL em face-offs (61,9%; mínimo de 500 tentativas) e foi o primeiro em face-offs vencidos (991), pela sétima vez na sua carreira. Foi o segundo em face-offs feitos (1.600) e terceiro em face-offs na zona defensiva (59, 3%). Bergeron liderou a NHL em porcentagem de tentativas de tiro para o gol (mínimo de 25 jogos) com Boston tendo 65,1% de todas as tentativas de tiro quando ele estava no gelo, em 5-contra-5, a maior porcentagem entre qualquer jogador, desde que a estatística começou a ser computada em 2009-10. Ele foi o terceiro entre os atacantes do Bruins em média de tempo de gelo (18:10), o segundo em tempo de gelo com desvantagem (1:41), o segundo em tiros bloqueados (45) e foi o terceiro jogador que mais roubou o puck (37). Ele foi o terceiro de Boston em pontos, com 65 (25 gols e 40 assistências) em 73 jogos, e ajudou o time a terminar com 51-26-5, além de conseguir uma vaga nos playoffs da Stanley Cup pela sexta temporada consecutiva.

“Obviamente a estrutura com que jogamos, enquanto time, me ajudou bastante ao longo do tempo em Boston”, Bergeron disse. “E eu repito, colegas de time, companheiros de linha, mas também as posições em que jogamos, como tentamos ler jogadas. Ninguém vai ficar chocado se eu disser que não sou o jogador mais rápido de todos, mas eu gosto de talvez me colocar em uma posição onde não preciso correr muito ou gastar energia sem necessidade. Ao longo dos anos, eu ganhei experiência e aprendi a me colocar em situações onde eu posso ficar melhor posicionado defensivamente, mas também disponível para voltar ao ataque.”

Bergeron, que venceu o Selke pela última vez em 2016-17, foi finalista do prêmio por 11 temporadas consecutivas, um número recorde.

“Onze vezes seguidas, enquanto jogador, eu acho que você quer ser um jogador consistente, você quer ser conhecido por isso, então sim, é legal ser reconhecido dessa forma”, ele disse. “Mas como eu disse muitas vezes, é como eu aprendi a jogar e como eu quero jogar. Eu não acho que teria mudado a forma como jogo no gelo ou a forma como tenho feito as coisas pelos últimos 18, 19 anos. Eu acho que aprendi muito com muitas pessoas incríveis, técnicos, que me fizeram um jogador melhor, obviamente.”

O central do Florida Panthers, Aleksander Barkov, que venceu o Selke na última temporada, e o central Elias Lindholm, do Calgary Flames, foram os outros finalistas do prêmio.

Votos do Troféu Frank J. Selke de 2021-22

1. Patrice Bergeron, BOS – 1798 (160-20-11-0-3)
2. Elias Lindholm, CGY – 878 (21-46-50-28-12)
3. Aleksander Barkov, FLA – 746 (10-52-40-22-16)
4. Ryan O’Reilly, STL – 415 (1-16-28-39-36)
5. Anthony Cirelli, TBL – 385 (0-28-19-22-28)
6. Anze Kopitar, LAK – 163 (3-9-6-10-10)
7. Joel Eriksson Ek, MIN – 113 (0-7-4-9-17)
8. Phillip Danault, LAK – 78 (0-3-5-8-8)
9. Marcus Foligno, MIN – 77 (0-3-5-7-10)
10. Auston Matthews, TOR – 70 (0-2-6-4-14)
11. Jordan Staal, CAR – 58 (0-0-4-11-5)
12. Brad Marchand, BOS – 53 (0-1-6-4-4)
13. Mikael Backlund, CGY – 45 (0-4-1-3-3)
14. Sebastian Aho, CAR – 32 (0-0-2-6-4)
15. Mika Zibanejad, NYR – 25 (0-1-1-3-4)
16. Mitchell Marner, TOR – 24 (0-1-1-3-3)
17. Jesper Fast, CAR – 13 (0-1-1-0-1)
18. Mason Marchment, FLA – 13 (0-1-0-2-0)
19. Rasmus Asplund, BUF – 11 (0-0-1-2-0)
20. Valeri Nichushkin, COL – 11 (0-0-1-0-6)
21. Roope Hintz, DAL – 10 (0-0-0-2-4)
22. Joe Pavelski, DAL – 6 (0-0-1-0-1)
23. J.T. Miller, VAN – 6 (0-0-0-2-0)
24. Andrew Copp, NYR – 5 (0-0-1-0-0)
Vincent Trocheck, CAR – 5 (0-0-1-0-0)
26. Colton Sissons, NSH – 4 (0-0-0-1-1)
27. Johnny Gaudreau, CGY – 3 (0-0-0-1-0)
Nazem Kadri, COL – 3 (0-0-0-1-0)
David Kampf, TOR – 3 (0-0-0-1-0)
Jesse Puljujarvi, EDM – 3 (0-0-0-1-0)
Michael Raffl, DAL – 3 (0-0-0-1-0)
Sam Reinhart, FLA – 3 (0-0-0-1-0)
Matthew Tkachuk, CGY – 3 (0-0-0-1-0)
34. Sidney Crosby, PIT – 1 (0-0-0-0-1)
Bo Horvat, VAN – 1 (0-0-0-0-1)
Anton Lundell, FLA – 1 (0-0-0-0-1)
Jean-Gabriel Pageau, NYI – 1 (0-0-0-0-1)
Evan Rodrigues, PIT – 1 (0-0-0-0-1)

* Valor dos pontos por posição: 10-7-5-3-1 (1º-2º-3º-4º-5º)

Este texto foi traduzido e adaptado, para ler o original acesse o link.

Share this post

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email